À procura do entendimento

User avatar
Tigwar
Posts: 30
Joined: Mon Oct 08, 2018 7:10 am

À procura do entendimento

Postby Tigwar » Mon Oct 08, 2018 7:12 am

LU is focused guiding for seeing there is no real, inherent 'self' - what do you understand by this?
Acho que não há nenhum"eu". Talvez a origem de toda a confusão é identificar-me com este eu (o ego?). Este eu é bastante mecânico, é compulsivo, é a "voz na mente" com várias facetas e vozes diferentes, é a "essência" que dá a origem ao julgamento, e talvez à ideia de identidade.

What are you looking for at LU?
A leitura do tópico "LU is not.." criou algum conflito. Há ideia de que o entendimento da "Essência" (da pureza mais sublime), trará clareza e portanto bem-estar (felicidade?). Penso que pelo menos parte da causa da angústia é a falta de discernimento.
Através da LU espero o Entendimento das coisas.

What do you expect from a guided conversation?
Gostaria de perceber as falácias base que levam à ignorância. Há momentos em que "as coisas ficam claras" mas são momentos fugazes. Sinto também pode ser uma questão de autenticidade e coragem, de "não querer olhar para as coisas". Às vezes parece que as coisas não fazem ressonância porque o ego não está preparado para morrer.

What is your experience in terms of spiritual practices, seeking and inquiry?
Falando um pouco de mim antes de tudo, tenho 22 anos e sou de Portugal. Tive uma infância relativamente tranquila e uma mudança rígida na adolescência fruto fundamentalmente de circunstâncias externas. Houve nesta altura um período de difícil adaptação com bastante sofrimento. À medida que fui crescendo, foi despertando um interesse por entender "a natureza das coisas, a essência", que se manifestou através do interesse por psicologia, como forma de tentar chegar "ao fundo da questão". Embora se tenha desenvolvido algum desenvolvimento emocional, conclui que a psicologia com que tive contacto (através de leitura e terapia) não me dava inteiramente a resposta à busca.
Há que salientar que se foi criando a ideia de que este entendimento é fundamentalmente a felicidade, ou pelo menos coincidia com a felicidade. De facto, a minha jornada em espiritualidade começa com o livro "the art of happiness" pelo Dalai Lama. Eventualmente ganhei interesse por psicologia e filosofia budista assim como por meditação, por oferecer uma solução para o entendimeno livre de preconcepções.

Relativamente à prática de meditação, pratico com regularidade há cerca de 2 anos e meio, atualmente cerca de 2 horas por dia. Comecei por praticar apenas mindfulness da respiração até ao ano passado, altura em que fiz o primeiro retiro de 10 dias de SN Goenka, e desde então tenho praticado também Vipassana (observando as sensações do corpo). Fiz um segundo retiro em Março deste ano e inscrevi-me para um no dia 17 deste mês.
Em termos de experiências concretas, este Verão, fruto de circunstâncias na minha vida, tive um período bastante intenso espiritualmente. Frequentemente havia a sensação de Sincronização, que culminou num evento no qual tive a sensação que o corpo se ia "dissolver" por completo. Desde então, a "sede" por entendimento tem-se tornado cada vez mais aguda.

On a scale from 1 to 10, how willing are you to question any currently held beliefs about 'self? 8

User avatar
Canfora
Posts: 3978
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: À procura do entendimento

Postby Canfora » Mon Oct 08, 2018 9:56 am

Olá, bom dia. Bem vindo ao forum da LU! Eu sou a Sandra e vou ser a tua guia.
Obrigada pela tua introdução, fiquei com uma ideia sobre onde estás situado neste "caminho".

O que fazemos na LU não tem por objetivo aumentar o teu entendimento sobre o que és nem sobre o que as coisas são. Não se trata de discernir, trata-se de ver aquilo a que chamamos realidade tal como é no momento.

Ver que o eu separado é uma ilusão não é algo de espiritual, não está ligado a experiências específicas, não tem a ver com entender.
Às vezes parece que as coisas não fazem ressonância porque o ego não está preparado para morrer.
Ui. Nada vai morrer. Nada vai desaparecer. Nada vai deixar de existir. Isto é semelhante a perceber que o Pai Natal não existe. Da mesma forma que esta realização não faz com que o Pai Natal desapareça - simplesmente porque não existe e portanto não pode desaparecer - não faz com que o que é real desapareça.

Tens mais algum receio relacionado com o que pode vir a acontecer? Se eu te disser que o eu não existe, o que é que pensas, o que é que sentes?

User avatar
Tigwar
Posts: 30
Joined: Mon Oct 08, 2018 7:10 am

Re: À procura do entendimento

Postby Tigwar » Mon Oct 08, 2018 3:20 pm

Olá Canfora, obrigado desde já pelo envolvimento.
Às vezes parece que as coisas não fazem ressonância porque o ego não está preparado para morrer.
Talvez não me tenha expressado da melhor forma. O que eu quero dizer é que uma parte de mim tem receio de olhar para lá.
E porquê perguntas? Tenho medo de extinguir-me. Talvez tudo aquilo em que acreditei é vazio e isso é terrível.

Como me sinto ao pensar que o eu não existe? Parece que não há propósito ao pensar assim, parece que me extingo, que me dissolvo. O nada é assustador.

User avatar
Canfora
Posts: 3978
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: À procura do entendimento

Postby Canfora » Mon Oct 08, 2018 4:21 pm

Olá viva. Como é que isso vai??
O que eu quero dizer é que uma parte de mim tem receio de olhar para lá.
Tens receio de olhar para onde exatamente?
parece que me extingo, que me dissolvo.
Mas se o eu separado não existe e se tu não fores um eu separado, como é que te podes extingir ou dissolver?
Este site está cheio de casos de pessoas que viram que o eu separado é uma ilusão e nenhuma delas deixou de existir como consequência dessa realização. Eu sou a prova disso :)
O nada é assustador.
Tu és claramente algo. Compreendo que esta ideia possa parecer assustadora, mas esta história do nada tem pés para andar? É mais do que uma história? Neste momento, estás a ter uma experiência do nada?

User avatar
Tigwar
Posts: 30
Joined: Mon Oct 08, 2018 7:10 am

Re: À procura do entendimento

Postby Tigwar » Mon Oct 08, 2018 8:30 pm

Tens receio de olhar para onde exatamente?

Tenho de receio de olhar para o que há para além do "eu". Há uma sensação no corpo que parece que "bloqueia" essa verdade.

Mas se o eu separado não existe e se tu não fores um eu separado, como é que te podes extingir ou dissolver?
Este site está cheio de casos de pessoas que viram que o eu separado é uma ilusão e nenhuma delas deixou de existir como consequência dessa realização. Eu sou a prova disso :)
Não sei, o que há para além do eu?

Tu és claramente algo. Compreendo que esta ideia possa parecer assustadora, mas esta história do nada tem pés para andar? É mais do que uma história? Neste momento, estás a ter uma experiência do nada?
[/quote]

Há algo que está a ter uma experiência, mas essa experiência não é "pessoal"?. Parece que algo flui espontaneamente mas não sei se realmente há "controlo". Há controlo por um lado e não por outro. Onde está a opção de "escolha"?

User avatar
Canfora
Posts: 3978
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: À procura do entendimento

Postby Canfora » Tue Oct 09, 2018 5:00 pm

Tenho de receio de olhar para o que há para além do "eu". Há uma sensação no corpo que parece que "bloqueia" essa verdade.
Quando uma criança pensa que existe um monstro escondido no armário, a melhor maneira de a fazer ver que isso não é verdade é abrindo a porta do armário e olhando lá para dentro.

Tenta fazer o mesmo. O medo é um mecanismo de proteção que está a tentar proteger-te. Mas sê curioso e olha para lá do medo e oberva o que lá está.

É possível encontrar um eu que corre perigo?

Este eu que sente receio, é possível encontrá-lo?

O que é que vês? O receio é justificado pela existência de um eu real que precisa de ser defendido?

Não sei, o que há para além do eu?
Primeiro verifica se este eu existe tal como pensas que ele é.
Há algo que está a ter uma experiência, mas essa experiência não é "pessoal"?. Parece que algo flui espontaneamente mas não sei se realmente há "controlo". Há controlo por um lado e não por outro. Onde está a opção de "escolha"?
Compreendo o que estás a perguntar mas estás a ir demasiado depressa. Descobre primeiro se há razões reais para ter medo. Se não vires que não há razões para ter medo vais ter muita dificuldade em avançar.

User avatar
Tigwar
Posts: 30
Joined: Mon Oct 08, 2018 7:10 am

Re: À procura do entendimento

Postby Tigwar » Tue Oct 09, 2018 11:21 pm

Olá Canfora,
Quando uma criança pensa que existe um monstro escondido no armário, a melhor maneira de a fazer ver que isso não é verdade é abrindo a porta do armário e olhando lá para dentro.
Não há nada que sente. Há alguma coisa que quer ver.
O receio é justificado pela existência de um eu real que precisa de ser defendido?
Há algo óbvio.



Têm sido mega confusos os últimos "dias", vejo que há momentos em que há "algo".

Não sei se "estou" a ser pouco descritivo, é intuitivo.

User avatar
Canfora
Posts: 3978
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: À procura do entendimento

Postby Canfora » Wed Oct 10, 2018 9:18 am

Olá Tigwar, bom dia.

Sim, há algo. Mas não te foques nesse algo por aí além.

A ideia é ver se esse algo - aquilo que sentes que és - é aquilo a que te referes quando pensas "eu". Verificares se é um eu separado. Um eu separado, independente, sólido, permanente. O eu que existe nos teus pensamentos.

De certa forma é veres o que não és em vez de veres o que és.
Têm sido mega confusos os últimos "dias", vejo que há momentos em que há "algo".
Não percebo muito bem o que queres dizer. O que é que andas a fazer concretamente? Consegues explicar-me, sff?

Abraço,
S

User avatar
Tigwar
Posts: 30
Joined: Mon Oct 08, 2018 7:10 am

Re: À procura do entendimento

Postby Tigwar » Wed Oct 10, 2018 5:25 pm

Olá Olá.

Têm sido mega confusos os últimos "dias", vejo que há momentos em que há "algo".
Não percebo muito bem o que queres dizer. O que é que andas a fazer concretamente? Consegues explicar-me, sff?
Estive a ler parte do livro dos 21 casos de "awakenings" é houve certos casos que ao ler criaram conflito. Particularmente um caso de um senhor que praticava meditação há 25 anos em busca do 'enlightenment', e fica transtornado com o quão óbvio e simples é. De facto parte do "alimento" da minha busca tem sido por vezes excesso de disciplina e o paradigma de que há um caminho "linear" a percorrer que tem de ser percorrido (não sei se fez sentido).
Tenho portanto sentido uma mudança drástica de opinião em relação às coisas ao longo do dia, e o tal estado de confusão, motivado por "auto" repreensão. Suspeito que seja um mecanismo de defesa. Reparo nisso particularmente na abordagem que tenho à meditação. Tenho tido bastante livre, ora há um foco no prazer ora em "disciplina".

Às vezes lembro-me que está tudo bem, e que se estiver atento tudo flui.


Sinto que simplesmente sou. Parece que quanto mais procuro palavras para descrever mais fujo do essencial.


O receio é justificado pela existência de um eu real que precisa de ser defendido?
Esta frase faz click

User avatar
Canfora
Posts: 3978
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: À procura do entendimento

Postby Canfora » Thu Oct 11, 2018 10:38 am

Hello bom dia,
Estive a ler parte do livro dos 21 casos de "awakenings" é houve certos casos que ao ler criaram conflito. Particularmente um caso de um senhor que praticava meditação há 25 anos em busca do 'enlightenment', e fica transtornado com o quão óbvio e simples é. De facto parte do "alimento" da minha busca tem sido por vezes excesso de disciplina e o paradigma de que há um caminho "linear" a percorrer que tem de ser percorrido (não sei se fez sentido).
Tenho portanto sentido uma mudança drástica de opinião em relação às coisas ao longo do dia, e o tal estado de confusão, motivado por "auto" repreensão. Suspeito que seja um mecanismo de defesa. Reparo nisso particularmente na abordagem que tenho à meditação. Tenho tido bastante livre, ora há um foco no prazer ora em "disciplina".
Percebo perfeitamente aquilo que estás a dizer. Posso perguntar porque é que fazes meditação?
Às vezes lembro-me que está tudo bem, e que se estiver atento tudo flui.
Sabes, mesmo quando pensas que não está tudo bem e mesmo quando não estás atento, tudo flui. Aquilo que pensas que bloqueia o fluxo também É o fluxo.
Sinto que simplesmente sou. Parece que quanto mais procuro palavras para descrever mais fujo do essencial.
Parece-me que estás a complicar isto um bocadinho. Descrever algo é tão simples! Descrever implica observa e usar a linguagem para fazer outra pessoa compreender aquilo a que nos estamos a referir.

Exemplo: branco, rectângular, fino, do tamanho de uma caneta bic. --> acabo de descrever um bloco notas.

O que te proponho é que tentes achar e descrever aquilo a que chamas eu, para sabermos se este eu pode ser encontrado, tal como o écran que tens à frente do nariz. Mas para isso tens de procurar, observar e descrever o que vês. Isto porque se um eu é real tem de existir aqui agora, mesmo quando não estás a pensar sobre ele, tal como tudo o que te rodeia.

Olha em teu redor. Observa. O que é que vês? É possível encontrar um eu?

Abraço,
S

User avatar
Tigwar
Posts: 30
Joined: Mon Oct 08, 2018 7:10 am

Re: À procura do entendimento

Postby Tigwar » Sun Oct 14, 2018 8:09 pm

Olá olá.

Ora bem. Quinta-feira tive uma experiência com Ayahuasca aqui em Portugal :) Algo absolutamente incrível.

Não sei muito bem como foi o teu "caminho" mas parece-me bem partilhar a experiência.
Ora bem, tive uma experiência visual de consciência alargada. Tudo é cores, movimento, dança. Estava maravilhado a ver este fenómeno e curiosamente quando olhava para ele, no padrão de cores surgia um olho que olhava de volta para mim. Majestoso.
A certo momento ouço uma voz que me diz "Take a look", e eu observo a experiência com atenção plena, e de repente..tudo "explode". Fisicamente o meu corpo contorce-se para cima e abro a boca para dar um enorme suspiro...parece que renasci.
Fartei-me de chorar então maravilhado com a beleza e amor que há em tudo. E é tudo tão simples.

Senti uma enorme quantidade de informação a chegar à mente. Uma quantidade avassaladora que acho que ainda estou a integrar.
Se realmente "acordei"? Sei lá, acho que não sou o corpo nem a mente (no nível mais lato da palavra). Sou energia, movimento. É isto, Canfora? Um profundo sentido obrigado.
Olha em teu redor. Observa. O que é que vês? É possível encontrar um eu?
Vejo formas, cores, sensações. Não sou o meu corpo. Há um monólogo interno que contínua na mente mas não é "meu".

User avatar
Tigwar
Posts: 30
Joined: Mon Oct 08, 2018 7:10 am

Re: À procura do entendimento

Postby Tigwar » Sun Oct 14, 2018 8:38 pm

Gostava de fazer uma questão. Parece que ainda há sofrimento. Há "algo" que ainda sofre, e ainda reflito nisso. Qual é a tua intuição/feeling no tema?

Um abraço,
Frederico

User avatar
Canfora
Posts: 3978
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: À procura do entendimento

Postby Canfora » Mon Oct 15, 2018 11:55 am

Olá Frederico,

Obrigada por teres partilhado a tua experiência. Nunca experimentei Ayahuasca nem nada de semelhante, é o tipo de coisa que escapa aos meus radares e não se enquadra na minha existência. A partir de relatos de outras pessoas suponho que este tipo de experiências fora do normal tenha a sua utilidade. Mas apesar de extraordinárias essas experiências são experiências: começam, acontecem, acabam. Podem ser boas, podem não ser assim tão boas, podem ser péssimas.

Ver que o eu separado é uma ilusão não é bem uma experiência, é mais a realização de um facto. Não existe um eu separado em qualquer tipo de experiências pelas quais os seres humanos passam.

Quando falas em acordar... O que é que queres dizer? O que é que pensas que é acordar? Acordar para o quê?

O que é que eu acho sobre o sofrimento? Acho que é uma bosta. Obviamente preferia não sofrer. Mas neste contexto a questão é se o que sofre é um eu separado. Se sofrer é pessoal. Se é algo que prova que és uma entidade separada de tudo o resto. O que é que dirias sobre isto?

Abraço,
S

User avatar
Tigwar
Posts: 30
Joined: Mon Oct 08, 2018 7:10 am

Re: À procura do entendimento

Postby Tigwar » Mon Oct 15, 2018 5:37 pm

Olá de novo.

Quando falo em acordar é no sentido de ver as coisas de uma forma diferente. Estou a ter uma experiência humana mas acho que sou algo maior, mais "puro". E que no fundo somos todos iguais, fazemos parte do mesmo todo mas vivemos na ilusão de separação (e talvez seja essa a causa da insatisfação e do sofrimento).

Acho que quem está a sofrer é o Frederico, mas o Frederico não existe, no real sentido da palavra. E sinto que o meu controlo real é muito limitado, mesmo ilusório.

User avatar
Canfora
Posts: 3978
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: À procura do entendimento

Postby Canfora » Tue Oct 16, 2018 9:57 am

Olá Frederico,

Compreendo a 100% o que dizes.
mas vivemos na ilusão de separação (e talvez seja essa a causa da insatisfação e do sofrimento).
Não sei bem o que é que penso sobre isto. Tenho a impressão que as crianças muito pequenas e os animais, apesar de muito provavelmente não terem a ilusão de que estão separados do resto da existência, sentem insatisfação e sofrem. Ou seja, não me parece que a insatisfação e o sofrimento tenham por base a ilusão da separação, embora a ilusão os intensifique. Parece-me que fazem simplesmente parte da existência, assim como as outras emoções, como a alegria e o prazer por exemplo. A palete de cores das sensações / sentimentos que existe é muito muito vasta.

O que é que te leva a dizer que o Frederico não existe no sentido real da palavra?

Abraço,
S


Return to “Português”

Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 1 guest