Page 1 of 9

Nunes

Posted: Wed Apr 26, 2017 3:42 pm
by Canfora
Olá e bem vinda à LU!

Vamos então começar pelo princípio. O que é que te trouxe aqui, do que é que andas à procura?

Abraço,
S

Re: Nunes

Posted: Wed Apr 26, 2017 10:44 pm
by Nunes
Olá,
Desde já começo por agradecer do fundo do coração a ti, e a todos envolvidos neste website. Nem sei como exprimir toda a gratidão que sinto.

O que estou a procura?
Para ser honesta não sei. Há uns anos atrás (não sei como) tive uma experiência que me marcou para sempre. Lembro me desse dia. Estava bem disposta e em paz. Após ter lido um livro, que sugereiru ( estar atenta a voz que ouvimos cá dentro), e coloquei isso em pratica, assim que os mesmos pensamentos repetirorios começaram a aparecer. Lembro que estava no trabalho e tinha que fazer certas coisas aborrecidas, e a mente começou logo a criticar etc etc mesmo antes de eu ter começado a fazer o que fosse. Nesse momento questionei me - disse para mim própria - eu ainda não fiz nada, acabei de chegar ao trabalho, o que a mente me está a dizer não é real, pk não é o que está (neste momento) a acontecer. Logo a seguir, decidi ignorar completamente a mente, ela continuava a falar para mim mas eu simplesmente deixei que isso acontecesse mas não sei importância alguma, no entanto prestei atenção ao eu que realmente estava a fazer, por exemplo cada movimento, cada palavra que saia da minha boca etc, comecei a prestar atenção ao que realmente estava a acontecer. Não sei por quando tempo isto durou mas nesse dia tive a tal experiência que me marcou. Custa me por isto em palavras mas simplesmente não me senti separada de nada, senti uma liberdade como nunca antes. Isto durou alguns dias, mas acho que talvez pela força do hábito comecei de novo a identifCar me com a mente, e desde então tenho estado a tentar entender realmente o que aconteceu.

Gostava só de salientar, que quando a tal esperEncia sucedeu eu não conhecia nada sobre espiritualidade , auto realização etc. Só depois pesquisando na internet é que percebi e falando com outras pessoas.

O que procuro é entender a realidade das coisas. Entender a realidade deste eu, que eu sei ser falso mas tenho dificuldade em ver isso claramente.

O que me trouxe aqui?
Espero com a tua ajuda, Ver claramente a realidade das coisas tal como é.

MUito obrigado




muito obrigado

Re: Nunes

Posted: Thu Apr 27, 2017 11:35 am
by Canfora
Olá, bom dia! Obrigada pela tua resposta!

Curiosamente o que me fez começar aquilo que pode ser considerado uma busca espiritual também foi ver como a mente está por vezes tão longe da realidade.

Espero que não te importes de responder a uma série de perguntas, porque eu adoro fazer perguntas :)

É normal que uma série de sensações/sentimentos/histórias sobre ti, começem a vir ao de cima quando procuras respostas. As emoções, principalmente o medo, podem ser consideradas mecanismos de proteção que tentam proteger-te do novo, do desconhecido e manter-te nas tuas familiares "zonas de conforto".

Se começares a sentir emoções que te levem a não querer fazer este inquérito - medo, frustração, anxiedade, auto-crítica - diz-me, sff, para tentarmos lidar com elas o melhor que conseguirmos.
O que procuro é entender a realidade das coisas. Entender a realidade deste eu, que eu sei ser falso mas tenho dificuldade em ver isso claramente.
O que é para ti a realidade das coisas de que falas? Como é que sabes se algo é real ou não?

Quando escreves que tens dificuldade em entender a realidade do eu... o que é que queres dizer com a "realidade do eu"?

O que é que te leva a pensar que o eu pode ser entendido?

O que é para ti este eu?

Beijinhos!

Re: Nunes

Posted: Thu Apr 27, 2017 10:24 pm
by Nunes
Olá :)

o que é para mim a realidade?
O "momento" em si tal como é sem a interpretação da mente.

Como é que sei se é real ou não?
Acho que tudo é real no sentido de que se é observado é porque "existe" . Tenho a sensação de que o que não é real é a interpretação da mente fazendo com que "pareça" que existe um "eu" a aparte do que "acontece" como se houvesse uma relação entre o "eu" e a realidade em si. Acontecendo isto parece que o "eu" tem algum puder sobre o que acontece. Como sei isto? Tenho como referencia a tal experiência que vi que não há separação. Para te ser sincera Sandra acho que teve um impacto negativo em mim pois parece que não me consigo distanciar do que aconteceu e levo isso como termo de referência.

A realidade do eu?
Quero dizer este sentimento de separação. Sinto me separada do que acontece e isso causa com insatisfação. Não sei bem explicar. Parece que a toda a hora há algo que "falta" . Parece que nunca sossego. Estou insatisfeita constantemente.

O que me leva a pensar que o eu pode ser entendido?
Eu não acho que possa ser entendido pois cada vez tenho mais a convicção que é simplesmente uma construção da mente. Este 'eu' aparece como uma voz que eu ouço diariamente, opinando sobre tudo.

Espero ter respondido a tudo. Não me importo nada pois estas são questões que me ando a debater há anos.

Muito obrigado
Beijinho

Re: Nunes

Posted: Fri Apr 28, 2017 8:45 pm
by Canfora
Olá!

Se quiseres usar a função quote:

- posicionas o cursor no sítio onde queres que apareça a quote
- "sublinhas" com o lado esquerdo do rato as minhas palavras que queres "quotar"
- carregas em Quote, no menu que esta em cima do sítio onde estás a escrever

Se necessário, há outras explicações aqui: http://www.liberationunleashed.com/nati ... ?f=4&t=660
o que é para mim a realidade?
O "momento" em si tal como é sem a interpretação da mente.
É uma boa definição. Eu estava a pensar em termos do que está aqui. Exemplo: o computador à minha frente é real, o almoço de amanhã não é real.
Como é que sei se é real ou não?
Acho que tudo é real no sentido de que se é observado é porque "existe" . Tenho a sensação de que o que não é real é a interpretação da mente fazendo com que "pareça" que existe um "eu" a aparte do que "acontece" como se houvesse uma relação entre o "eu" e a realidade em si. Acontecendo isto parece que o "eu" tem algum puder sobre o que acontece. Como sei isto? Tenho como referencia a tal experiência que vi que não há separação. Para te ser sincera Sandra acho que teve um impacto negativo em mim pois parece que não me consigo distanciar do que aconteceu e levo isso como termo de referência.
Compreendo. E não compreendo. Neste momento, vês separação? Dirias que se olhares para uma mão, a mão está separada de tudo o resto?
A realidade do eu?
Quero dizer este sentimento de separação. Sinto me separada do que acontece e isso causa com insatisfação. Não sei bem explicar. Parece que a toda a hora há algo que "falta" . Parece que nunca sossego. Estou insatisfeita constantemente.
Oh sim, uma sensação de separação existe, de vez em quando.
E sim, uma grande insatisfação também existe, de vez em quando.
E sim, sim, sim, parece que há algo que falta, de vez em quando.
Eu diria que a vida é descrita assim, por praticamente todas as pessoas, de vez em quando. Pelo menos este fórum está cheio de pessoas que dizem o mesmo, os livros e a tv estão cheios de pessoas insatisfeitas e se eu me lembrar de todas as pessoas que conheço, raras são as que não se identificariam com aquilo que escreveste. Inclusivé eu. Um dos meus dias parece uma espécie de montanha russa emocional, posso passar por uma imensa gama de emoções, da raiva, à tristeza, ao medo, à anxiedade, à alegria, à curiosidade, ao "estou farta disto". Mas sempre que paro e olho, consigo ver que eu não sou um eu separado.

O que é que acontece quando paras e olhas, Cláudia?

Tens momentos em que consegues ver que aqui e agora não existe um eu?

Tens momentos em que consegues ver o que é que está a causar a ilusão de que um eu é real?

Neste exato momento, se observares o que te rodeia e procurares este eu de que falas... o que é que acontece? O que é que vês? O que é que sentes?
O que me leva a pensar que o eu pode ser entendido?
Eu não acho que possa ser entendido pois cada vez tenho mais a convicção que é simplesmente uma construção da mente. Este 'eu' aparece como uma voz que eu ouço diariamente, opinando sobre tudo.
Sim! Uma voz chata que se farta! Dirias que essa voz é a tua voz, que tens sobre ela algum controle?
O que te leva a dizer que essa voz é o eu?

Beijinhos!

Re: Nunes

Posted: Fri Apr 28, 2017 8:48 pm
by Canfora
Espero não estar a fazer demasiadas perguntas, tenho a tendência para me entusiasmar...

Re: Nunesm

Posted: Fri Apr 28, 2017 9:57 pm
by Nunes
Olá Sandra,

Muito Obrigado pelas perguntas. Pergunta o que quiseres e quantas vezes quiseres. Não me Importo nada. Adoro falar sobre "isto".

Obrigado pelo tip em relação à função quote. Quando te responder no portátil irei usar.

Gostei do que disseste , a mão a minha frente é real e o almoço de amanhã não é. sim!

Neste momento se vejo separação?
Quando olho para a minha mão não a vejo separada, mas parece que há uma relação entre eu e a mão. Por exemplo eu não sou a mão, pk eu vejo a mão certo? Há uma diferença. Quem é que vê a mão? Não sei.

Em relação a todas as emoções que descreves-te deixou me confusa. Entendo que ninguém, controla o que sente, mas pensei que quando se vê claramente que o eu não existe entao não havera luta com o presente. Como pode haver? Quem é que quer que algo seja diferente? Quem é que está insatisfeito se não há ninguém? Pensei que o Eu se unisse com o que E!

Pk pensei que o falso eu não sabendo da sua " inexistencia" luta com o presente pensando que de alguma forma o pudesse mudar de acordo com o que quer e não quer que aconteça. Mas ao saber que esse eu não existe pensei que a luta com o presente deixa se de existir. Entendes me?
Não é isso a liberdade do enlightenment "produz". ?

Quando paro e olho? O que acontece?
É estranho isto. Olho para que? O que significa este "olhar" ? A única coisa que consigo dizer é uma descrição do que acontece. É isto que te referes?

Quando procuro o Eu? O que acontece?
Nao consigo procurar. Pareçe ser parte de mim. Desde que me lembro que parece que vivo com este "eu" . DEsculpa se não estou a responder exatamente a tua pergunta mas estou a fazer o melhor.

Não sei o que causa a ilusão do eu. nao sei como ocorre este processo de separação. Acho que pode ser um hábito que ainda não foi bem verificado.

Se é a minha voz? Se tenho controle sobre a voz?
Não. Definitivamente Não. Se pudesse calava a para sempre :) nao sei se é a minha voz. É simplesmente a voz que estou acostumada a ouvir mas tenho noção que ela simplesmente descreve o que acontece, parece que tem uma relação com o que acontece. Entendes me neste ponto?

Muito obrigado.
beijinho

Re: Nunes

Posted: Sat Apr 29, 2017 9:08 pm
by Canfora
Olá!
Neste momento se vejo separação?
Quando olho para a minha mão não a vejo separada, mas parece que há uma relação entre eu e a mão. Por exemplo eu não sou a mão, pk eu vejo a mão certo? Há uma diferença. Quem é que vê a mão? Não sei.
Parece-me que a diferença está em a mão poder ser considerada um "objeto" e o ver a mão poder ser considerado uma ação. Quando pensamos em ações, consideramos automaticamente que existe um sujeito que realiza a ação.

Exemplos: eu vejo, eu penso, eu ando, eu olho para a esquerda.

A linguagem reenforça constantemente a impressão de que um eu existe.
Em relação a todas as emoções que descreves-te deixou me confusa. Entendo que ninguém, controla o que sente, mas pensei que quando se vê claramente que o eu não existe entao não havera luta com o presente. Como pode haver? Quem é que quer que algo seja diferente? Quem é que está insatisfeito se não há ninguém?
Ver que o eu não existe é ver que o eu não existe. É conseguir ver que tudo o que está a acontecer, acontece apesar de não existir um eu. Quando nos apercebemos que a vida é o que é, sem que o que está a acontecer seja pessoal, a possibilidade de encarar as coisas com leveza aumenta.
Pensei que o Eu se unisse com o que E!
Quando escreves Eu com letra grande, a que te referes?
Pk pensei que o falso eu não sabendo da sua " inexistencia" luta com o presente pensando que de alguma forma o pudesse mudar de acordo com o que quer e não quer que aconteça. Mas ao saber que esse eu não existe pensei que a luta com o presente deixa se de existir. Entendes me?
Não é isso a liberdade do enlightenment "produz". ?
Sim, percebo o que queres dizer. Penso que não é tão simples como isso. Conheces alguém que não lute com o presente uma vez por outra? Conheces alguém que não sinta emoções?
Quando paro e olho? O que acontece?
É estranho isto. Olho para que? O que significa este "olhar" ? A única coisa que consigo dizer é uma descrição do que acontece. É isto que te referes?
É possível descrever coisas que não estão a acontecer. Quando descreves uma experiência passada, estás a descrever algo que não está a acontecer. Ou melhor, os pensamentos estão a acontecer, mas a experiência é imaginária.

Olhar é ver o que está aqui agora, observar o que está presente aqui, usando os olhos, usando os sentidos. É estar atento à informação que nos transmitem os sentidos - visão, toque, audição, sabor, cheiros... É descrever o que está aqui e não é imaginário.
Quando procuro o Eu? O que acontece?
Nao consigo procurar. Pareçe ser parte de mim. Desde que me lembro que parece que vivo com este "eu" . DEsculpa se não estou a responder exatamente a tua pergunta mas estou a fazer o melhor.
Suponho que já leste ou ouviste falar da analogia entre o eu e o Pai Natal?
Sabemos que o Pai Natal não é real, apesar de fazer parte do nosso imaginário e de parecer estar em todo o lado na época do Natal. E não precisamos de pensar para saber que o Pai Natal é um ser imaginário. Se procurarmos evidências da existência do Pai Natal, não encontramos o Pai Natal verdadeiro. Parece que existe, mas sabemos que não existe.

Lembras-te da última vez que tiveste de procurar alguma coisa? As chaves de casa, um documento, uma roupa? Procurar um eu implica fazer o mesmo que fizeste nestas ocasiões. Perguntas a ti própria "Onde está o eu que penso que sou?" ou algo semelhante e procuras este eu, aqui e agora, usando os sentidos. E, quando pensas que encontraste o eu, verificas se esse eu é um eu verdadeiro, uma entidade separada.

Se um eu existe, tem que ser algo de encontrável. E tem de estar aqui. Agora. Tem que ser tão encontrável e tão real como um copo, um gato, um livro. Tem que algo que se vê, que se toca, que se cheira, que se prova, que se ouve. Ou então, é tão imaginário como o Pai Natal, o Equador, uma Universidade, Portugal.
Se é a minha voz? Se tenho controle sobre a voz?
Não. Definitivamente Não. Se pudesse calava a para sempre :) nao sei se é a minha voz. É simplesmente a voz que estou acostumada a ouvir mas tenho noção que ela simplesmente descreve o que acontece, parece que tem uma relação com o que acontece. Entendes me neste ponto?

Sim, entendo :)

Beijinhos!

Re: Nunes

Posted: Sat Apr 29, 2017 10:15 pm
by Nunes
Olá Sandra,

Sim, na minha relação com tudo, há o que posso descrever um sujeito-objecto relação. Objecto é tudo o que tem qualidades. O sujeito é o que tem a experiência do objecto. O sujeito não tem qualidades, não dá para definir.

Não, não conheço ninguém que não sinta emoções. Mas não estava a referir me a isso. Estava a referir me ao facto de não haver oposição ao presente, pois se o eu não é real, então só o presente existe.

Não me referi a nada em concreto por escrever o Eu em letra grande :)

Obrigado pela referencia do termo "olhar" - irei prestar mais atenção ao que me rodeia, ao que os sentidos transmitem.

Sim já ouvi a analogia do Pai Natal. Faz todo o sentido. Mas só me faz ver " intelectualmente" que o eu não existe, mas não Directamente!!!

Sim , se um eu existe tem que ser encontrável - mas como não é um objecto - não consigo encontrar. Este eu não tem qualquer qualidade que eu possa descrever, no entanto um copo, gato ou livro teem certas qualidades - cor, forma etc.

Sandra, como tornar este conhecimento "intelectual" que o eu não existe, numa experiência directa que confirme o mesmo?

Muito obrigado
Beijinho

Re: Nunes

Posted: Sun Apr 30, 2017 7:50 pm
by Canfora
Viva Cláudia! Obrigada pela tua resposta.
Sim já ouvi a analogia do Pai Natal. Faz todo o sentido. Mas só me faz ver " intelectualmente" que o eu não existe, mas não Directamente!!!
Com isto queres dizer que tu vês um eu directamente?
Se, pelo contrário, não vês um eu, esse não-ver não é uma experiência, em vez de um não-ver intelectual?
Como é que imaginas que é ver directamente que algo é uma ilusão?
Sim , se um eu existe tem que ser encontrável - mas como não é um objecto - não consigo encontrar. Este eu não tem qualquer qualidade que eu possa descrever, no entanto um copo, gato ou livro teem certas qualidades - cor, forma etc.
Portanto pensas que é possível que exista um eu separado, mas sendo este eu imaterial?
O que é que seria este eu então? E como é que sabes que é algo de separado?
Sandra, como tornar este conhecimento "intelectual" que o eu não existe, numa experiência directa que confirme o mesmo?
A única forma que conheço de experimentar diretamente que um eu separado não existe é olhando para o que está aqui. O que entendo ao ler o que escreves, é que não encontras um eu, mas pensas que um eu existe. O que é um bocado como estar num deserto, olhar para uma miragem e pensar, apesar de todas as evidências em contrário, que a miragem é água.

Quando falas de ti, quando dizes eu, a que é que te referes?

Beijinhos!

Re: Nunes

Posted: Sun Apr 30, 2017 9:54 pm
by Nunes
Olá Sandra,

Obrigado pela resposta e perguntas :)

Não, eu não vejo um eu diretamente. Para te ser sincera eu não sei bem o que este eu é. Quando Analiso, penso o que pode ser este eu que falo - não é o meu corpo, pk eu vejo o meu corpo. Não é a minha mente pk eu observo a mente. Não consigo voltar mais para traz que a mente/pensamento.

Como imagino que é ver diretamente que algo é uma ilusão?
Liberdade. Como senti naquele dia. Uma paz como nunca tinha sentido antes.

Quando perguntas sobre o eu separado eu não entendo bem este conceito. Separado de que?
Simplesmente tenho a noção da pessoa existir. Mas não entendo se é separada. Separada??

Quando falo de mim, falo da entidade que está a pensar, que está a escrever este e-mail. Que está grata por me ajudares neste caminho .

Muito obrigado.
Beijinho

Re: Nunes

Posted: Mon May 01, 2017 5:52 pm
by Canfora
Viva Cláudia!
Quando perguntas sobre o eu separado eu não entendo bem este conceito. Separado de que?
Simplesmente tenho a noção da pessoa existir. Mas não entendo se é separada. Separada??
A maioria das pessoas pensa que é um eu que está dentro do corpo. Um eu, uma entidade, um ser independente, permanente, separado de uma realidade exterior: eu aqui e o que não sou eu ali...

Esta experiência que descreves: "Não sei por quando tempo isto durou mas nesse dia tive a tal experiência que me marcou. Custa me por isto em palavras mas simplesmente não me senti separada de nada, senti uma liberdade como nunca antes." faz-me pensar que agora pensas que és algo separado do resto. Por momentos a separação foi vista como inexistente e gostarias de voltar a sentir o que sentiste na altura. E, se não o sentes, tens a impressão de que te falta algo, de estares incompleta. De ser algo separado. Mas se és realmente algo separado, esse algo tem de estar aqui. Se não o encontras, como é que a separação pode ser real?
Quando falo de mim, falo da entidade que está a pensar, que está a escrever este e-mail. Que está grata por me ajudares neste caminho .
Qual entidade? Como é que sabes que há uma entidade presente aqui e agora? Onde é que ela está e o que é que é?

Pensares sobre isto não é a ferramenta certa para fazer este inquérito. Olha para o que te rodeia. Existe um eu real dentro do corpo ou fora do corpo? Vês alguma evidência da existência de uma entidade?

Beijinhos!

Re: Nunes

Posted: Mon May 01, 2017 9:59 pm
by Nunes
OLa Sandra,

Hoje quando estava a passear o meu cão, as tuas palavras vieram me á cabeça. Reflecti nas nossas conversas, e pensei - será que o que me está a ser sugerido é que eu não estou a prestar atenção ao que aqui está, agora, mas em vez disso vivo na minha cabeça , numa relação independente ao que está a acontecer? será que vivo num mundo de conceitos, em vez da realidade do que está a acontecer? É engraçado como a mente começa logo " ok como é que eu "faço" para estar mais presente? como se isso fosse possível.

Definiste perfeitamente como me sinto a maior parte das vezes:

"Um eu, uma entidade , um ser independente, permanente, separado de uma realidade exteiror: eu aqui e o que não sou eu ali.."

100% como me sinto a maior parte das vezes.

Como é que sei que há uma entidade presente aqui e agora?
A única coisa que consigo dizer é que há algo que está a ouvir, a sentir, a ver etc. Não quero dar nomes só quero descrever o que sinto.

Não, não existe um eu real dentro ou fora do corpo. O Que existe é o conceito disso. Mas isso não o torna algo real e separado. Será um pensamento como outro qualquer?

Sandra podemos falar mais sobre o que disseste a pouco:

"Separado de uma realidade exterior: eu aqui e o que não sou eu ali.."

Tenho dificuldade nesse ponto. A realidade exterior - o mundo que me rodeia - não tenho controlo. A Realidade interior - onde o eu se encontra ou pelo menos a pessoa que penso que seja sou.

Aos poucos com a tua ajuda vejo, que este eu Pode ser só um conceito ao qual eu dou atenção, e por isso parece ter autonomia mas quando investigo não dá pá ser encontrado.

Podes dar me umas luzes? :)

muito obrigado,
beijinho

P.s. - espero não estar a fazer perguntas a mais. se achas que devo parar e só ouvir e investigar diz. Faço o que por preciso e mais benéfico.

Re: Nunes

Posted: Tue May 02, 2017 10:42 am
by Canfora
Bom dia, Cláudia!

Tenho a impressão de que ainda não te apercebeste que aquilo que estás a tentar verificar pode ser verificado já, aqui e agora? Se um eu existe tem de estar aqui, agora. Pensar não te vai ajudar a observar o que está aqui.
Tenho dificuldade nesse ponto. A realidade exterior - o mundo que me rodeia - não tenho controlo. A Realidade interior - onde o eu se encontra ou pelo menos a pessoa que penso que seja sou.
O que é que tem uma realidade interior? Consegues encontrar mais do que uma realidade ou apenas pensamentos que parecem fraccionar a realidade?

Beijinhos

Re: Nunes

Posted: Tue May 02, 2017 5:58 pm
by Nunes
OLa Sandra,

Peço te por favor que tenhas paciência comigo. Estou a dar o meu melhor acredita. Não há nada que eu queira mais que acabar com esta ilusão .

Sim se existe um eu tem de estar aqui e agora. Ok - não existe um eu então pk a única coisa que consigo encontrar é o momento em si ( vejo, ouço, sinto)

A realidade inteiro refiro me há realidade da Claudia, só a Claudia sabe o que na mente da Claudia. A realidade exterior refiro me por exemplo - quando olho pela janela, vejo movimento (carros) vejo pessoas etc tudo isto parece nao ser Eu mas algo exterior a mim.

desculpa se não tenho as bases necessárias para entender o que estás a dizer, mas acho que poderás entender o que estou a passar - refiro me quando tu também estavas a procura. Lembras te do teu início etc, de como customavas pensar. Será que me podes guiar apartir dai?

Olho, e olho e não vejo nada. Não existe um eu, mas e dai? O que faço com a toda a ilusão que ainda sinto? Ignoro?

Não sei mais que fazer..

beijinho